Crítica: “Valerian e a Cidade dos Mil Planetas”

Por em quarta-feira, 9 agosto 2017
critica-valerian

Crescer na década de 80/90 foi marcante, todos que passaram por ela se lembram bem da enxurrada de filmes de ação e aventura que sempre tinham dois elementos principais: cenas mirabolantes e heróis brucutus. Pouco importava o roteiro, arco de personagem, profundidade, nada disso. Valerian e a Cidade dos Mil Planetas parece uma volta a essa época, o problema é que não estamos mais nesse século.

O filme conta a história do Major Valerian (Dane DeHaan) e sua parceira, a Sargento Laureline (Cara Delevingne), que são os melhores agentes da galáxia e resolvem todo o tipo de problema em vários planetas. Nessa missão eles precisam investigar uma força misteriosa que está ameaçando a existência de Alpha, uma gigantesca estação espacial que é o lar de milhares de espécies de todo o universo.

img-critica-valerian-01

A maior ameaça, no entanto, é a construção dos dois personagens principais. Dane DeHaan, que é um ator com muito potencial, não convence como o herói “fodão” (desculpem o meu francês) e Cara Delevingne parece incomodada com o papel em quase todas as cenas. Isso dificulta demais a química do casal e, fica ainda pior, quando o filme tenta enfiar pela goela do espectador um romance entre os dois. Não dá pra entender de onde essa paixão surgiu e muito menos o porquê dela se consumar. Junte a isso o fato do roteiro ser fraco e extremamente previsível. Não é preciso ser nenhum “Xeroque Rolmes” para perceber logo quem está por trás de tudo que está acontecendo.

É triste ver o aspecto principal do filme ser ruim, pois a ambientação está magnífica! Os cenários são muito interessantes e as várias espécies de extraterrestres são cheias de personalidade. A cena que abre o longa é muito bonita, além de bem construída. Pode-se perceber que houve muito esmero da equipe de direção de arte. Inclusive, mesmo que esse filme não tenha atingido as expectativas, seria muito interessante ter uma continuação, porque jogar esse universo todo no lixo depois desse filme seria um desperdício.

img-critica-valerian-02

O diretor, Luc Besson, parece tentar repetir a fórmula de um de seus filmes mais conhecidos: “O Quinto Elemento”, que foi produzido justamente na década de 90, uma época onde esses tipos de filmes não se levavam tão a sério e capturavam a nossa atenção muito mais pelo visual e pela aventura do que pela história em si, algo que não funciona mais tão bem hoje em dia.

Crítica: Valerian e a Cidade dos Mil Planetas pôster

Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (“Valerian and the City of a Thousand Planets”)

Roteiro: Luc Besson
Direção: Luc Besson
Elenco: Dane DeHaan, Cara Delevingne, Clive Owen.
Gênero: Ação, Aventura, Fantasia
Duração: 2h17min

Estreia no Brasil: 10 de agosto de 2017

Publicitário não praticante. Adora vasculhar a internet para ler sobre personagens de quadrinhos que nunca leu e filmes que nunca viu. Ama videogames e cinema e, logicamente, odeia filmes de games ou games de filmes. Escreve para o Afronte sobre games e filmes de cultura pop-geek. Seu sonho é ter uma loja de games e action figures ou se tornar um Mestre Pokemon, o que acontecer primeiro.

Comentários