Crítica: “Uma Mulher Fantástica”

Por em domingo, 10 setembro 2017
critica-uma-mulher-fantastica

Quando fui assistir a Uma Mulher Fantástica, consegui a façanha de ir sem saber nada sobre o filme. A única coisa que estava latente era que o filme era do mesmo diretor do aclamado “Gloria”, o argentino/chileno Sebastián Lelio. Ah sim, e que o filme ganhou o Urso de Prata por Melhor Roteiro, no Festival de Berlin, e estavam chamando Lelio de o próximo Pedro Almodóvar. Mixed feelings porque, isso pode ser muito bom… e muito ruim.

Com a estreante Daniela Vega como personagem principal, Marina Vidal é uma jovem transgênero que após a morte repentina do namorado Orlando (Francisco Reyes), 20 anos mais velho, se vê obrigada a enfrentar a família dele pelo direito de se despedir do seu amado parceiro. E assim, temos um resumo simples, cru e direto de todos os preconceitos, barreiras, dificuldades e desafios que ela precisa enfrentar.

Crítica: Uma Mulher Fantástica

O filme se passa em Santiago, no Chile, e diferente dos filmes do nosso querido diretor espanhol, não têm aquele tom de cores chamativas e personagens que seriam um prato cheio pra qualquer pessoa atuante do campo de saúde mental. A história de Marina está de mãos dadas com a realidade. Não tem grandes surpresas com reviravoltas absurdas e (in)esperadas.

A atuação da estreante Vega, como garçonete e aspirante a cantora, é simplesmente absurda. Os momentos lúdicos são um prato cheio pra embarcar no turbilhão de sentimentos causados pelo filme. Impossível não se emocionar com a evolução da história e da garra dela em busca de direitos mínimos, lutando contra o preconceito das pessoas e de toda uma sociedade cuja cultura considera errado e sujo, quem quer que não se encaixe nos padrões de gênero.  Apesar dos poucos minutos em cena, Reyes consegue facilmente passar para o espectador o tamanho do amor entre Orlando e Marina.

A trilha sonora é linda e embala o filme com maestria. Destaque para a maravilhosa música de Areta Franklin “(You Make Me Feel Like) A Natural Woman”, que toca enquanto ela está dirigindo sozinha. Um arremate perfeito para toda a sensibilidade do enredo. Eu estou realmente torcendo pra esse filme ir pro Oscar. Vale muito a pena conferir.

critica-uma-mulher-fantastica-poster

Uma Mulher Fantástica (“Una Mujer Fantástica”)

Roteiro: Sebastián Lelio, Gonzalo Maza
Direção: Sebastián Lelio
Elenco: Daniela Vega, Francisco Reyes, Luis Gnecco.
Gênero: Drama
Duração: 1h44min

Estreia no Brasil: 7 de setembro de 2017

Largou o curso de Letras Port/Inglês pra trabalhar como Técnico Telecom. O hobbie de DJ virou profissão alternativa e às vezes ganha um trocado com isso. Começou escrevendo resenhas e críticas na internet. Entrou no Afronte pra falar de filmes, mas tem um affair com música, séries e praticamente qualquer assunto. No meio disso tudo ainda arruma tempo pra estudar ADM.

Comentários